Educativo e divertido por Marcelo Tas

Facebook Twitter Snapchat
Facebook Twitter Snapchat

filtrar por:

Resultado da busca

Carregando...

Marcelo Tas

Jornalista, comunicador e extra-terrestre

Marcelo Tas

Jornalista, comunicador e extra-terrestre

Favorito
125 Ohh!
129 Kkk
118 Uau!

E os direitos das crianças? #AindaDáTempo

Como sensibilizar o mundo das tragédias que transformam milhões de infâncias em pesadelo?

Estamos cuidando da futura geração do mundo? Milhões de crianças e adolescentes têm seus direitos violados ao redor do planeta. Escolas perfuradas por fuzis, torturas desde o berço e recrutamento para batalha. Essa sequência cruel invade a infância de milhões de pessoas que deveria ser de diversão e aprendizado. 

Reprodução do Reporte Anual de Educação 2014 da UNICEF.

Image title
Pelo menos 3 milhões de crianças brasileiras estão fora das escolas.

Os números não são brincadeira. Dos 19,5 milhões de refugiados em 2014, pelo menos a metade ainda não completou 18 anos. Se somarmos a República Centro-Africana e Sudão do Sul, estima-se que 22 mil crianças foram recrutadas por grupos armados nos últimos dois anos apenas nestas duas regiões. 

A educação não fica fora da tragédia. Há cerca de 650 milhões de crianças em idade escolar primária. Entre elas, aproximadamente 250 milhões não estão aprendendo habilidades básicas em leitura e escrita. É como se toda a população brasileira somada aos 50 milhões de sul-coreanos vivessem atualmente com o ensino básico defasado. No Brasil, mais de 3 milhões de crianças estão fora da escola. 

Com tantos números alarmantes, a tragédia passou a ser ouvida como uma simples estatística. Como sensibilizar a população mundial para o caos enfrentado pelos jovens hoje? A UNICEF e a agência Ogilvy Brasil produziram um vídeo que propõem uma pergunta difícil para os ouvidos dos pais adultos: e se fosse com o seu filho?

Assista ao vídeo e aventure-se no desafio de vestir a pele das famílias que não puderam garantir os direitos básicos das futuras gerações. A UNICEF acredita que #AindaDáTempo. A campanha marca 25 anos da criação do Estatuto da Criança e do Adolescente.

0 COMENTÁRIOS

Escreva um comentário